InícioCalendárioFAQGruposBuscarMembrosRegistrar-seConectar-se



 

Compartilhe
 

 Plantas Mágicas

Ir em baixo 
AutorMensagem
Duncan Von Rose
Admin


Sangue : Puro

Plantas Mágicas Empty
MensagemAssunto: Plantas Mágicas   Plantas Mágicas Icon_minitimeTer Mar 05, 2019 3:18 pm

Abútua
Também conhecida como parreira-brava, a abútua é uma trepadeira que produz frutos de coloração roxo-escura. Para seus frutos amadurecerem leva cinco semanas. É uma planta muito procurada por preparadores de poções porque de seus frutos são extraídos uma seiva espalhada em sua estrutura utilizada em poções para engrossá-las e aumentar seus efeitos. Também pode ser ingerida para curar envenenamentos de grau um. É facilmente localizável e geralmente encontra-se em lugares arejados, como os jardins de Hogwarts.

Acácia
Planta considerada sagrada aos egípcios. Em dez semanas, os seus frutos já podem ser utilizados no preparo de poções. Desses frutos é extraída a seiva, que é, posteriormente, utilizada em poções da paz. Encontrada em todos os lugares do mundo, contudo, é-se mais facilmente localizável no Cairo, Egito. Curioso é que, com 15 semanas de cultivo, essa planta produz bagos brancos minúsculos que, depois de passar por um processo de purificação, podem ser ingeridos para a restauração total das energias. Em contrapartida, o bruxo pode sofrer efeitos colaterais, como espinhas, tosse e soluços.

Acanto
Planta perene e, de suas folhas, é extraído a seiva para utilizar em poções contra queimaduras. Suas folhas, quando esmagadas e unidas, formam uma espécie de pasta que fecha cortes quase instantaneamente. É uma planta muito complexa e interessante, já que possui várias funções ao mesmo tempo, como faladas agora pouco. Além de tudo, também pode ser utilizado em poções da sorte para expandir o seu efeito (duração). Essa extensão varia de um a cinco minutos. Possui dois estágios, sendo que apenas no segundo o suco retirado de suas folhas produz efeito.

Acônito
Planta encontrada em planíces rochosas e de alto relevo. É venenosa e também possui um uso medicinal muito importante no mundo bruxo. Existem dois tipos de Acônito, sendo eles: Acônito Lapelo e Acônito Licoctono. É facilmente encontrado por possuir raízes tuberosas e caule ereto, além de possuir pétalas azuis, que são extremamente chamativas.

Alagasiana
Grandes arbustos com folhas oblongas e grossas formando um feixe radial. Suas folhas branco-amareladas reúnem-se em grandes inflorescências, que partem de uma haste central verde de cinco a seis metros de altura. O fruto tem numerosas sementes, o que a torna uma planta auto-multiplicável. A seiva extraída dos frutos é empregada em cura de feridas e inchaços causados por plantas, poções ou feitiços (apesar de que no último caso seja mais aconselhável um feitiço de reversão, pois essa planta pode causar efeitos colaterais que variam de pessoa pra pessoa). A planta em pó é utilizada em poções para engrossar sua essência.

Almeideira
Árvore baixa de tronco grosso, com madeira e folhas com a aparência seca e apodrecida. A almeideira é a "prima pobretona" da magnanda. Enquanto esta última absorve os minérios no chão para gerar pedras preciosas e riquezas no lugar de seus frutos, sua "parente" absorve qualquer coisa que encontre no solo ou em seus arredores através de suas raízes. Por conseguinte, a copa da árvore em questão é cheia dos mais estranhos tesouros, como botas velhas, ossos velhos e pedras sem valor. Em raros casos, a planta chega a absorver coisas valiosas, como baús com riquezas enterrados. Outras vezes, a planta pode absorver coisas macabras, como cadáveres. Dos poucos exemplares desta espécie, a maioria se encontra nos Países Baixos, de onde veio seu descobridor, Blíteo. O súber do vegetal - assim como suas folhas - é usados para poções para causar fedor ou em misturas de efeitos como desfigurar ou enfeiar alguém.

Aliquente
Planta mágica facilmente localizável. Suas folhas causam histeria em quem tocá-los; seu efeito pode ser amenizado a partir de um antídoto com base na secreção de Besouros da Melancolia.

Arapucoso
Planta de galhos longos, onde sai, de seu toco, espinhos urticantes. Ricocheteia seus galhos como modo de defesa a qualquer bruxo que tente extrair suas vagens.

Arbusto Tremulante
Um arbusto que possui vários espinhos entre seus galhos que move-se descontroladamente. Quando se sente ameaça, dispara os espinhos para todos os lados, causando envenenamentos de grau dois.

Artemísia
Pelo seu aroma confortante, é utilizado em seções espíritas de adivinhólogos. Suas folhas, quando queimadas, são um estímulo a uma zona neural que permite ao bruxo ter sensações incomuns. Não é propriamente venenosa e não possui classificação de envenenamento, pois o bruxo, quando quiser, pode sair do transe.

Arruda Aromática
Herbácea semelhante à arruda comum, porém coberta por flores rosadas idênticas às da planta onze-horas. São encontradas nas reservas bruxas do Ministério da Magia brasileiro na floresta amazônica, mas foram exportadas ilegalmente para a Europa algum tempo depois de sua descoberta "oficial" por Dharma Mugworth. Antes mesmo de Mugworth encontrar as ervas, as civilizações indígenas dá amazônia já utilizavam da planta em seu dia a dia, fato que, ao se tornar conhecido, criou desconfianças e boatos ruins sobre o trabalho da herbóloga. A arruda mágica tem a capacidade de soltar gases levemente atordoantes quando próximas de objetos, seres ou até mesmo bruxos que tenham envolvimento com magia das trevas. O gás não surte qualquer efeito em seres puros e de bom coração, o que faz desta erva um sistema de segurança perfeito para lares bruxos que abriguem indivíduos justos e sem ligação com o lado negro da magia. As flores do vegetal, antes da criação do feitiço Specialis Revelio, eram jogadas sobre comidas e poções, pois nessas condições elas mudam de cor. Os novos tons das pétalas variam dependendo do efeito que causará a bebida ou alimento, sendo negro a morte, vermelho o envenenamento, verde um ataque de risadas, entre outros tons.

Asfódelo
Possui raíz fasciculada e uma chamativa haste elevada, muitas vezes mais alta que o gramado em que se encontra. Apesar de possuir lindas pétalas, elas não servem para muita coisa, sendo útil somente sua raíz que é muito utilizada na poção Morto-Vivo quando ela é reduzida a pó.

Beijo-de-Moça
Chamada assim pelo formato exótico que suas pétalas tomam em suas pontas, um lábio feminino e sensual, esta flor foi descoberta na floresta Amazônica pelo trio de herbólogos aventureiros composto por Persephone Wilhelm, Clive Buckland e Gordon Heaffrey, porém boa parte de suas propriedades só foram descobertas alguns meses mais tarde pela amiga particular dos três, Dharma Mugworth. É uma planta carnívora que prende sua comida no interior de suas pétalas, onde digere o alimento e utiliza suas propriedades para se manter. A flor varia muito de tamanho dependendo da quantidade de alimento digerido por toda sua vida. Algumas são pequeninas e só podem pegar pequenos animais e insetos, mas há boatos de espécimes que poderiam comer vacas e humanos inteiros. É descrita com sua corola vermelha distinguida pelo formato de lábio de suas pontas e um grande caule cheio de espinhos venenosos que causam formigamento ou paralisia muscular dependendo da quantidade de peçonha injetada. O vegetal tem a capacidade de alongar e movimentar seu caule e suas raízes, utilizando destes como tentáculos para se aproximar de uma vítima e agarra-la. O cheiro desta espécie é dito extremamente sedutor, atraindo as vítimas com facilidade. A fragrância é retirada do beijo-de-moça e vendida pelo mundo bruxo como um perfume raríssimo e caro, devido a dificuldade de encontrar a espécie e captura-la para retirar sua essência; mas muito procurado pelas moças que desejam se tornar atrativas e concorridas.

Beladona
Planta mágica nativa da Europa, Norte da África e Ásia Ocidental. É encontrada em solos úmidos e em beira de rios e lagos. Suas folhas e bagos são altamente tóxicos e capazes de matarem um adulto com apenas um toque seu; sua raiz é a parte de maior toxidade. Muitos bruxos e trouxas acabam ingerindo seus frutos por serem brilhantes e suculentos, acarretando em morte (na maioria das vezes). Ao seu toque, bruxos entram em uma espécie de transe com alucinações mortais; se encaixa no grau seis de envenenamentos.

Bubotúbera
Plantas gordas de aspecto lamaceiro, de cor preta, grande. Esta planta tem específicas bolhas amareladas sobre sua estrutura. Quando estas bolhas são apertadas por um bruxo ou qualquer outro alguém ela solta um pus. O pus de bubotúbera pode ser usado para fazer poções anti-acne e poções embelezadoras para a pele. Seu pus é hostil a pele e deve ser coletado com luvas. Se entrar em contato com a pele causa forte queimação e irritações na pele, precisando de um antídoto imediatamente.

Bocas-de-Guincho
Planta que se contorce descontroladamente e emite um som estridente quando são plantadas a base de fertilizante de Testrálio. Produz um pus que é usado em soluções de pessoas que perderam a voz (como a síndrome de Vocesserum, que causa asfixia e perda fatal de voz). Seu grito é mortal a qualquer bruxo quando adultas, por isso é necessário cuidado excessivo. Demais fertilizantes deixam a planta sem função alguma, sem produzir pus e nem gritar. Se encaixam nos envenenamentos nível sete.

Botão-de-Prata
Planta que, quando extraída suas folhas, são usadas em poções energizantes para cansaço constante, fadigas e falta de apetite. Suas folhas também servem para antídotos de envenenamentos nível um.

Bulbos Saltadores
Planta pequena, redonda e com muitas raízes que se movem demasiadamente. É conhecida como contorcionista e ataca geralmente o rosto dos bruxos; seu pus esverdeado é somente tóxico aos olhos, pois, quando o Bulbo Saltador esguicha um jato de pus nos olhos do bruxo como meio de defesa, deixa-o cego durante duas horas. Esse pus é usado como ingrediente principal na Solução de Fazer Inchar.

Cactos Venenosos
Eles são nativos de regiões que recebem pouca precipitação pluviométrica. São encontrados em desertos com pouca vegetação. A maior parte é encontrada no segundo maior deserto do mundo, o deserto do Saara, localizado ao norte da África, embora também sejam encontrados na América do Sul, nos Andes. Também podem ser localizados no deserto da Líbia e Kalahari, que também ficam na África. Libera um muco marrom em seus poros cactulares que, quando em contato com a pele, causa envenenamentos de grau um.

Cacto Hipnótico Egípcio
Parecida com o Cacto Venenoso, entretanto ela é coberta de uma substância parecidíssima com areia. Possui duas grandes gemas na ponta de duas prolongações que giram, fazendo com que as pessoas que não a conhecem se aproximem. Quando perto o suficiente, tentáculos repletos de espinhos abraçam e puxam a vítima junto ao cacto. O cacto só larga do abraço quando a vítima está morta.

Cactus Sonnius
Se o espinho do cacto entrar em contato com a pele, causa ao afetado uma extrema sonolência. Há um tipo de veneno que o próprio cacto produz, em forma de defesa. Mesmo o espinho estando separado do cacto, o efeito funciona.

Carnivorus Borbuterantes
Apenas conseguindo desenvolver com o adubo de testrálio, essa planta não é totalmente das trevas. Pode-se ser associada pela necessidade que essa planta têm de ter o adubo que se relaciona com as trevas. Não desenvolvem com excremento de dragão. É parecida com uma planta carnívora, mas só se alimenta de aranhas e lagartixas. Não sente necessidade de alimentar-se de humanos, apesar de que, se esses se aproximarem demasiado, essa planta pode retirar algum membro do corpo do bruxo-alvo, como dedos e orelhas. As suas folhas servem para retardar o odor que uma poção possa emitir (poções comuns, nada de Veritasserum, Felix Felicis ou Polissuco).

Cocleária
Planta mágica com folhas muito brancas. Essas folhas levam três semanas para serem cozidas e, quando terminado o processo, são utilizadas em Poções para Confundir. Suas folhas nuas inflamam o cérebro de bruxos. Encaixam-se em envenenamentos comuns.

Come-boi Amazônica
Uma espécie de planta brasileira que é capaz de devorar um boi completo. Possui um caule grosso e suas enormes folhas dão a impressão de bocas cruzada entre os dentes. Não produz muco algum, é apenas uma planta utilizada por bruxos para proteger, geralmente, cofres e porta de casas.

Culantrilho
Mais parecido com um arbusto, essa planta possui vários ramos floridos ao redor de um casulo verde muito bem escondido. Esse casulo é responsável pelas funções da planta e, quando tocado, expele todo o seu muco marrom enviando-o para as ramificações internas flores que o rodeiam, criando espinhos e injetando veneno no alvo.

Damianina
Descoberta por Herbólogos brasileiros, a Damianina é uma planta rasteira que se desloca por metros abaixo da terra, o que a torna dificilmente localizável. Não possui estágios funcionais, a não ser pelo seu crescimento contínuo ao longo de três anos. Em seu interior, ela possui um líquido verde que é usado em poções que têm utilidades no cérebro de bruxos.

Descurainia
Plantas mágicas de pequeno porte que ficam acanhadas até o dia da lua cheia, para que se colha as suas folhas, que estarão cheia de energia e de efeitos. Caso seja colhida num outro dia, não haveria efeito e seria como uma planta normal. É uma planta associada com mudanças, pois sempre apresenta uma nova cor a cada estágio em que se abrirá. Depois de muito estudo, foi compreendido que sua essência, quando esmagada, é utilizada em poções que alternam estágios, como a poção Anireveladora (que obriga que o animago volte à forma humana).

Diafanina
São visgos roxos muito grossos sensíveis à luz do sol. Cruzam-se de um lado por outro e se locomovem, por isso são chamados de plantas rasteiras; vive em ninho e não é perigosa. Só ativa seu mecanismo de defesa (o mesmo de um visgo-do-diabo) quando algum de seus visgos são machucados.

Eletra Carnivoris
Planta carnivora que tem um casulo azul-berrante no meio, do casulo sai um aroma doce que atrai o alimento da planta. Ao redor da planta, há vários ramos cheios de folhas brancas e azuis que ao encostarem em alguém, solta uma descarga elétrica, a planta quando pequena, a descarga é equivalente a um Eletricus. Quando maior, é equivalente a um Eletricus Duo.

Erva de Anis
Uma simples erva com uma coloração azulada, que dá ao usuário um sentimento de "tranquilidade". Também pode se usado em poções e calmantes, os trouxas usam o Anis para chá, já no mundo mágico ele é bastante usado por mestres em poções. A erva também libera pó que se entrar em contato com o rosto pode causar leves queimaduras, para isso alguns herbólogos usam luvas feita de tentáculos de anêmona, para evitar essas queimaduras. Quando essa planta, digamos ficar muito próxima das narinas ela pode dar um leve efeito de dormência na região. Seu pó também pode ser usado como repelente para inseto mágicos. Para os trouxas isso é considerado um veneno.

Espirradeira Dracônica
Erva atípica, de aparência peculiar: as suas folhas – que possuem um verde-musgo profundo, com leves linhas de coloração ocre reluzente, e aparência escamosa – lembram muito, como a própria nomenclatura dessa espécie diz, a derme de um dragão. Suas bordas, de recortes irregulares, parecem ter sido contornadas por puro fogo, e, conforme atingida pela luminosidade, tremeluz como se estivesse ardendo em chamas. A áspera espécie tem não só peculiaridades envolvendo sua aparência: causa, em todos os bruxos – sem qualquer exceção – um grande acesso de espirros, de caráter alérgico. Os espirros, curiosamente, emitem uma fumaça – o que relembra a essência dracônica dessa erva. Muito utilizada por baderneiros em poções, ou mesmo esmagada. O pó dessa planta torna-se mais letal, uma vez que adentra o organismo com mais facilidade, dando aos espirros proporções catastróficas – é recomendado que a exposição a tal planta seja reduzida, uma vez que entrar em contato com a Espirradeira por muito tempo pode acarretar traumas no sistema respiratório por toda a vida.

Feijões Luzídios
Planta pequena que, quando adulta, produz grandes bagos que brilham. Esses bagos podem ser ingeridos e possuem vários tipos de gostos; sua essência (seiva) é utilizada na produção de Feijõezinhos de Todos os Sabores.

Figueiras Cáusticas
São nativas da Abissínia e servem, quando podadas, no preparo de poções. A semente de seus figos possui a capacidade de aguçar o bom humor.

Flor de Faniikê
O nome Faniikê decorre do élfico, que significa: Duas cores. Sua criação surgiu a partir do encontro de pesquisadores herbólogos que curiosos com o surgimento dos Teklers, estudaram-nos e desenvolveram a flor. Ela possuí ates negras e finas, caracterizadas por espinhos finos. Suas pétalas prateadas possuem um pó cinza espesso em suas várias camadas e cristais alaranjados ao decorrer da mesma.

Flores Sombrinhas
São flores enormes do tamanho de sombrinhas e aromáticas. Geralmente são postas em casas para deixar um bom cheiro e em vassouras quando o bruxo fará uma viagem muito comprida.

Gerânio Dentado
Planta redonda e grande com espinhos que lembram dentes entrecortados ao redor de algo que lembra uma boca no seu centro. Quando se sente ameaçada, escancara a boca e morde o bruxo; existem espécies que a mordida causa envenenamentos nível três e outras que nada faz com o bruxo.

Grito-Agudo Chinês
Uma planta coberta de espinhos e pequenas pústulas amareladas. Ela se contorce durante o dia e emite um som agudíssimo como um meio de defesa. Quando o seu pus entra em contato com a boca faz com que o alvo grite por um minuto sem parar, ou mais, dependendo do quanto foi injetado.

Guelricho
Tipo de erva rara que permite o bruxo respirar durante um tempo indeterminado debaixo da água. Quando é envenenada por algum agrotóxico (fertilizante) mal feito, pode causar bloqueio na respiração do bruxo, tanto na terra quanto na água.

Helária
As folhas de Helárias são muito raras por serem encontradas apenas no fundo de cavernas cáusticas. Suas folhas são utilizadas no Elixir da Euforia e no Gás da Gargalhada. Elas foram descobertas pelo botânico Beaumont Marjoribanks. Ela foi descoberta no século XVIII, no ano de 1798.

Heléboro Negro do Agreste
Pode ser considerado tanto uma planta quanto uma erva por possuir dois estágios que incluem essas classificações. O Heléboro Negro do Agreste é encontrado onde há temperaturas baixíssimas e está em constante desenvolvimento; já se foram catalogadas várias variações desta mesma planta, mais da metade no Pólo Norte. Por ser pequena, não é facilmente encontrada por inexperientes, já para Herbólogos ou bruxos preparados é de fácil localização. Possui dois estágios, sendo eles denominados, respectivamente, de Erva-de-Natal e Rosa-do-Fogo. Na primeira fase é pequena como qualquer erva, mas possui uma diferença: emana um pus esbranquiçado por cada ponto interior de sua estrutura, o que a deixa tão interessante desde seu primário vital. Esse pus pode ser aplicado diretamente em machucados e, além disso, pode ser injetado para sanar problemas internos de grau um (dores no estômago, na cabeça etc). Em seu segundo estágio (quatro semanas após o primeiro) denominado “Rosa-do-Fogo”, o Heléboro Negro do Agreste desenvolve-se a tal ponto que passa de erva a planta. Neste estágio possui grandes ramos espalhados ao redor de um casulo vermelho, por onde é extraído um pus da mesma cor usado em envenenamentos complexos de nível cinco.

Hemeróbios
Planta extremamente venenosa e suas folhas são usadas em determinadas poções, como a Poção do Acônito e a Poção Polissuco. Sua forma dá a impressão de um capuz de monge. Não produz muco. Quando sua folha entra em contato com a pele, causa irritações e efeitos alucinógenos.

Herbs Noctis
É uma grande planta com várias ervas diferentes subdivididas em um único galho. Dentre elas, estão uma planta carnívora (Carnis Humanae Comedentis) que sente necessidade em comer carne humana. Pode ficar até semanas sem comer nada, reproduzindo-se apenas do excremento de testrálio. Juntamente à uma planta muito associada às bobotúberas, já que possui quatro grandes bolsas de um creme alaranjado e pastoso, usado em poções para o tratamento de gripes. Só pode ser usada em poções, já que ao contrário se entrar em contado com a pele humana emite uma enorme coceira e vermelhidão. Só é reproduzida no pus de papoula. Juntamente à essas plantas, no mesmo galho se encontram uma planta de aspecto sombrio, contendo em sua folhagem uma coloração verde-escura e preta (Ramus Plantae Gas Venenatis). Quando ameçada, essa planta desgruda a estremidade de suas folhas, dando lugar à seis grandes "bocas", que liberam um gás extremamente venenoso, desmaiando a vítima. Só é reproduzida em Elixir do Crescimento. E por último, o galho dá lugar à uma pequena planta que oculpa toda superfície. Possui sua folhagem verde-limão (Clamore), e quando se sente ameaçada, se solta do galho, liberando de sua raiz um grito tão estridente quanto o grito de uma Mandrágora. Se for escutada por muito tempo, a vítima pode morrer. Só se reproduz ao excremento de dragão.

Hipnotizadora Egípcia
Contrariando o que denominamos de "comum" na arte herbológica bruxa, essa planta destaca-se pela sua interessante interação com hieróglifos. Perene, a Hipnotizadora Egípcia cresce tão alto quanto uma árvore. De suas sementes é extraído um pus amarelo semelhante a areia fina.

Ignácia
Encontrada em desertos arenosos. Parece um pequeno cacto feio e seco, ficando normalmente debaixo de pedras escondida. Qualquer criatura que se aproxime dela faz com que ela entre em chamas imediatamente, levantando um grande fogaréu de 2 ou 3 metros. Isso se dá exatamente porque em seu interior, a Ignácia possui pequenos cristais vermelhos, que são conhecidos como "cristais de fogo". Estes cristais quando tocados num determinado objeto esquentam-no como se possuíssem fogo em seu interior, causando altas queimaduras e muitas vezes ateando fogo em objetos. Se usar luva de couro de Dragão, isto não ocorre, obviamente, pois a luva resiste à alturas temperaturas e à encantamentos poderosos.

Koiné Grega
Ela é utilizada na Poção da Ambrosia Mágica. Ao bebê-la, você passa por fases de recuperação rápidas, com cicatrizações imediatas. Por possuir ingredientes que não são muito conhecidos no ramo de poções e muitas pessoas não sabeerem como manusea-la perfeitamente, esta pode se reduzir a cinzas.

Lingústica
Erva nativa do sul da Europa e introduzida na América do Norte. São eficazes para inflamar o cérebro e são usadas na Poção para Confundir. Quando entra em contato com a pele não produz efeitos funestos.

Lírio de Fogo Africana
Planta que cospe esferas de geléias de magma quando se sente ameaçada, sem se queimar. Não se trata de magma propriamente dito, mas sim de uma substância que arde e queima tão profundamente como se magma fosse. O Lírio de Fogo é idêntico a um Lírio normal com uma coloração vermelha. Ele tem uma espécie de casulo no meio da planta, onde joga as geléias de magma. O seu muco é extraído e, geralmente, depois de passar por um grande processo de verificação, pode ser utilizado na poção Derretedora.

Losna
Planta esverdeada que se assemelha a um alecrim. Serve como ingrediente em poções que causam bem estar para alongar sua duração, como a Poção da Paz. Essa expansão na durabilidade dos efeitos das poções vão de 2 à 10 minutos, dependendo do potencial do potônico.

Magnólia
Planta que atinge de 50 à 60cm, possui um caule idêntico ao de uma árvore de bonsai, tendo em seus galhos folhas de coloração roxo, vermelho e amarelo no formato falciforme, alternadas conforme o comprimento do ramo, na qual das pontas surgem pequenas flores semelhantes à "Copos-de-leite" prateadas espalhados por sua copa. Diferente das outras plantas em geral a Magnolia reage à todos os tipos de estímulos externos, podendo se contrair e mover seus ramos conforme sua vontade e assim transmitir "sentimentos" que esteja sentindo dando a noção de que ela realmente está viva e consciente das coisas que ocorrem ao seu redor, chegando ao ponto de poder até se apegar à presença de um determinado bruxo e reconhecer este. São dotadas de personalidades próprias, variando de tímidas a extrovertidas; o que as diferenciam de outras da mesma espécie.

Malva
Pelo seu aroma confortante, é utilizado em seções espíritas de adivinhólogos. Suas folhas, quando queimadas, são um estímulo à uma zona neural que permite ao bruxo ter sensações incomuns. Não é propriamente venenosa e não possui classificação de envenenamento, pois o bruxo, quando quiser, pode sair do transe.

Mandrágora
Quando no seu estágio adulto, podem servir de um tônico reconstituinte forte para trazer pessoas de um estado permanente (como petrificação). Mas, por outro lado, a Mandrágora pode servir para atordoar ou até mesmo matar o alvo com o seu grito fatal. Encaixam-se no tipo de envenenamentos de nível sete (máximo) quando adultas. O desenvolvimento das mandrágoras é comparável ao crescimento humano. Quando as plantas se tornam imprevisíveis e cheias de segredinhos, significa que estão deixando a infância e quando some a acne, estão prontas para serem reenvasadas. Quando começam a tentar se mudar uma para o vaso da outra, significa que já estão adultas.

Magnanda
Essa planta foi estabelecida como P.C.P (Proibida Cultivação da Planta) por gerar conflitos e por uma possível desestabilização na economia bruxa. A Magnanda é uma árvore pequena, lembrando um Bonsai, que em vez de pequenos frutos, dá pedras preciosas de seu caule uma vez por mês. Acredita-se que ela reúna os minerais da terra e os faça surgir em seus caules, podendo muitas vezes conseguir pingentes de ouro e de prata em seus pequenos galhos, que aos poucos se transformam em galeão-papel.

Meganium
A Meganiun foi descoberta em 1839 pela herbologista das trevas Zyra Maokai. É encontrada apenas a oeste das ilhas de Sumatra, pertencentes à Indonésia, no Oceano Índico. Aparentemente, é uma versão gigantesca do comum Copo-de-Leite trouxa. Foi descrita como sendo em forma de taça, com uma única folha gigantesca em cone, completamente fibrosa. A haste que liga o cálice à terra é grosso e de coloração enegrecida. A parte inferior, completamente ligada à haste, é de coloração verde-claro. À medida que a folha vai-se espiralando, a tonalidade fica esmaecida, até tornar-se quase branca. A parte interna da flor é de tonalidade roxa, que aparece até a fina beirada, derramando-se nas bordas externas. Uma espádice gigantesca ornamenta o interior do “tubinho” formado pela folha única espiralada, em tonalidades decrescentes de roxo, repletas de furinhos, como uma esponja, onde em cada um desses furinhos certa quantidade de esporos é encontrada. Os soros da espádice servem de alimento para pequenos pássaros, como o Pomourim Dourado e o Dedo-Duro, que são os seus principais polinizadores. Seu meio de reprodução é por esporulação. Quando o esporo cai em terreno suficientemente fértil, dá origem a um pequeno tubérculo que dispara uma única coluna afilada que cresce furiosamente até dezesseis centímetros por dia. O grande falo sem forma cresce até formar a espádice e partindo daí, torna-se um funil, cada vez mais fino para baixo, formando a haste. Apenas depois de criar raízes suficientemente fortes, a folha única começa a nascer, em espiral, servindo como proteção à espádice. Quando desabrocha, o que apenas acontece em dia de chuva seguido de arco-íris (portanto as Meganiun nunca desabrocham em uma época específica), chega até três metros de altura e setenta e cinco quilos. Apesar de todo tamanhão assustador, a planta é uma parasita. Suas raízes podem prolongar-se até cinco metros, agarrando-se a outras raízes e lhes sugando a seiva, portanto, nem realiza fotossíntese. Até mesmo visualmente é uma planta feiosa, mas o que realmente impressiona é o seu cheiro. Exala odor de putrefação e carnificina, causando náuseas, engulhos e tonturas, sendo esse o seu único meio de proteção, apesar de gigantescamente assustadora, não agarra e não morde. Alberic Grunnion, famoso pela criação das Bombas de Bosta aproveitou-se da catinga da flor e adicionou à fórmula original das bombas um pouco de sua seiva, retirada exatamente da haste que liga o cálice à terra. A estonteante Sacharissa Tugwood, famosa por poções de beleza e responsável pela descoberta das propriedades do pus da Bobotúbera também se desfrutou da flor, utilizando sua seiva como “toque exótico” de seu mais famoso perfume dentre as donas de casa, “L’essence Du Gambè”. Seu uso em poções é muito restrito, somente servindo para dissolver o pó da raiz de asfódelo, para o preparo da poção do Morto-Vivo, embora potônicos experientes apenas digam que a seiva da Meganiun forneça um sabor adocicado à poção, sendo assim completamente dispensável. A planta pode viver até quarenta anos, mas apenas floresce duas ou três vezes. Curiosamente, depois de morrer, a espádice resseca e atrofia, e a grande folha espiralada torna-se quebradiça ao toque e todo o mau cheiro que contamina o ar nas cercanias da planta simplesmente desaparece. Para alguns bruxos supersticiosos acreditam que a planta é a encarnação-floral de bruxos que já bateram as botas, o que, segundo Zyra Maokai, não faz sentido, pois as Meganiun não se desenvolvem em cemitérios, já que parasitam outras plantas, e não os mortos. Outras considerações: Em 1878 o trouxa, nomeado Odoardo Beccari, faz a descoberta da planta, batizando-a de “Flor-cadáver”.

Mimbulus Mimbletônia
Planta pequena com aspecto de cacto que comporta pústulas por todo o seu corpo. Aparentemente indefesa, espirra um muco verde-escuro viscoso e mal cheiroso (não é venenoso) quando se sente ameaçada. Quando mais adulta, também é capaz de emitir gritinhos e, para ser silenciada, precisa de uma boa quantidade de água.

Mortífera Gasosa
Como o nome já diz, essa planta exala um gás altamente tóxico, causando um envenenamento de grau quatro, com asfixia, seguida de perda de consciência. Essa planta se assemelha a um lírio de cor lilás e, em seu caule, há um espinho que rege os movimentos e os sentidos da planta.

Muro-Mato Fixadora
Quando espremida, essa planta libera um pus de cor amarela claríssima, e este pus, pode ser utilizado na criação de tecidos, poções e na criação de uma pasta muito resistente, semelhante ao cimento, que é utilizada em construções (devem-se aguardar dois dias para que o pus esteja realmente seco).

Narciso
Existem dois tipos dessa planta: os narcisos comuns e os gritantes. Os comuns são bonitos e apenas servem para enfeitar casas e os gritantes são iguais aos comuns, contudo, quando se sentem ameaçados, disparam um ruído que incomoda (contudo não é nem perto de mortal; no máximo, faz o bruxo desmaiar).

Nestravel
Quando está planta acaba sendo ingerida, causa vômitos, tonturas e efeitos alucinogênicos. Pode ser encontrada em toda a Europa.

Nevanda
Ela é uma planta nativa do sul da Antártida, também encontrado no alto de montanhas congeladas, pode sobreviver a temperaturas de baixo nível e quando levada a temperaturas altas, morre imediatamente. No estágio jovem os meios de proteção da Nevanda são avançados e engenhosos. Ela é coberta por uma substância branqueada e há furos por todo o seu corpo. Ao tocar na planta brutalmente, o seu meio de defesa é ativado e a mesma infla, evidenciando seus exuberantes cristais rochosos, que ao serem tocados, mergulham a pessoa num congelamento corporal. Por isso sempre devemos tocar as plantas com Luva de Couro de Iéti. Ela produz um muco branco que é um dos ingredientes da poção Proteção contra Fogo, por isso é tão rara.

Suffocatio Canadense
Essa planta mágica é endêmica do Canadá, desenvolvendo-se predominantemente em lugares úmidos e escuros. Apresenta folhas cinzas, as quais caracterizam-se pelo aspecto mórbido e depreciado. Seu caule é longo e robusto, rodeado por pequenos musgos e fungos provenientes da umidade que assola o local onde se desenvolve. Essa planta, juntamente com as suas propriedades mágicas e suas aplicações, foi descoberta por um herbólogo canadense chamado Richard Heatman. O chá oriundo das folahs da Suffocatio Canadense obstrui as vias respiratórias daqueles que o ingerem, interrompendo a respiração e promovendo uma respectiva asfixia caso a vítima não seja socorrida em 6 minutos. Em contraposição, o muco extraído do caule dessa planta é utilizado na fabricação de venenos simples, pouco complexos, que podem ocasionar tonturas, desânimo, morbidez e desmaios.

Tentáculos Venenosos
Plantas redondas que, do seu centro, saem vários galhos parecidos com tentáculos muito verdes. Sempre se remexe e, ao acertar um bruxo, deixa-o com sérios envenenamentos de grau três.

Urtigas
Encontradas em praticamente todo o mundo, com exessão de desertos, essa planta possui pelos eriçados com caule torto, cuja picada produz um ardor especial. Não é considerada como venenosa, pois o efeito de seu ardor é cessado em apenas uma semana. Deve ser manuseada com luvas de escama de Dragão, mesmo quando secas.

Valeriana
Planta medicinal pequena que suas folhas servem como efeito sonífero e calmante. Encontrada na forma de infusão ou comprimidos; vários bruxos com problemas de insônia as utilizam.

Venenosa MultiHead
Quando injetado o veneno da planta, a pessoa desmaia, mais ou menos como se tivesse tido estuporada. O efeito dura 15 minutos ou pode ser tratado com um antídoto comum.

Vigária
Planta que possui uma base redonda com folhas esbranquiçadas rodeando-a ao completo, e em seu centro possui um casulo amarelado. A vigária demora aproximadamente duas semanas para crescer, cabendo em um pequeno vaso. Possui três estágios. As sementes de vigária são brancas e servem na maioria das vezes para criar diversas poções de cura.

Visgo-do-Diabo
São pequenos visgos roxos e sensíveis à luz solar, que estrangulam até a morte as suas vítimas. São geralmente utilizadas em portões e em portas de casas de bruxos para a segurança destes. Essa planta vive em lugares úmidos e escuros, e são extremamente perigosos pois, uma vez pego, é quase impossível soltar-se. Ao menos que fique relaxado, e assim a planta entenderá que não há perigo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Plantas Mágicas
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Enciclopédias :: Plantas Mágicas-
Ir para: